Terça, 18 Abril 2017 18:49

Pastoral da Aids realiza encontro de formação e divulga estatísticas da doença em Goiás

Diversos temas foram trabalhados no Encontro Regional de Formação da Pastoral da Aids, que aconteceu nos dias 1 e 2 de abril, em Goiânia, e reuniu 24 pessoas. Durante o encontro, os agentes prepararam o Plano de Pastoral das Dioceses (2017-2019) e estudaram epidemia e tratamento, a espiritualidade do agente, e estigma e preconceito. O evento teve assessoria da secretária regional da Rede de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids, Tâmara Fabíola Borges Gonçalves e da vice-presidente do Grupo Apoio, Vida e Esperança (AAVE), Sâmara Natascha Borges Gonçalves.

De acordo com a coordenadora regional da Pastoral da Aids, irmã Elenice Natal de Lima, até 2020, 90% das pessoas que vivem com o HIV no Brasil saberão que são portadoras do vírus. A expectativa é que também nesse ano, elas sejam diagnosticadas para receberem terapia antirretroviral ininterruptamente. Ainda no encontro foi apresentado o atual quadro estatístico da doença em Goiás: cerca de 17.636 pessoas têm o vírus. Só na Arquidiocese de Goiânia há cerca de 9.656 pessoas notificadas. Uma das metas da pastoral é colaborar para que os soropositivos tenham acesso ao teste que as possibilitem descobrir sem têm a doença, acesso ao tratamento e medicamentos. “É também necessário esforços para eliminar o estigma, a discriminação e a exclusão social”, destacou.

O bispo referencial para a Pastoral da Aids no Regional Centro-Oeste, Dom Eugênio Rixen, contribuiu no encontro com a dimensão espiritual. Ele refletiu com os agentes sobre a figura da Samaritana (Jo 4,1-26), no contexto da Pastoral da Aids. “O encontro de Jesus com a samaritana se situa num momento em que ele se aproxima dos rejeitados, dos excluídos e marginalizados”, pontuou o bispo. Segundo ele, a mulher representa todos os marginalizados. E por ser samaritana, isso é mais evidente, porque ela faz parte de um povo historicamente rejeitado pelos judeus, que os consideravam impuros por causa da miscigenação. “Deus tem sede de nós antes de termos sede dele. Ele tem a iniciativa do amor”, declarou. Dom Eugênio afirmou que precisamos deixar os rótulos que nos são colocados. Aos agentes da Pastoral da Aids, disse ele, é indispensável ter o mesmo sentimento de Jesus, de aproximar das pessoas que vivem e convivem com o vírus HIV, com a atitude de acolhida, escuta e solidariedade, se esforçando para eliminar o preconceito e a exclusão.

O dia foi concluído com a celebração Eucarística presidida pelo bispo e logo após, os participantes assistiram ao filme “A cura”, que tem relação com a Aids. No dia seguinte aconteceu o encerramento com a apresentação do Planejamento das Dioceses para 2017 e houve uma avaliação do encontro e a oração final.


Serviço da Igreja na contenção da epidemia da Aids. Nós acolhemos, acompanhamos e defendemos os direitos das pessoas que foram infectados pelo HIV. Promovendo a vida como bem maior, realizamos um trabalho de informação e prevenção na Igreja e na sociedade para que cheguemos antes do vírus.

Bispos referenciais

Dom Eugênio e Dom Guilherme

Coordenadora: Ir. Elenice N. de Lima

Contatos: (62) 99696-1169

E-mail: pastoralaidsco@grupoaave.org   

© 2017 CNBB Centro-Oeste - Todos os direitos reservados

Rua 93, nº 139, Setor Sul, CEP 74.083-120 - Goiânia - GO - 62 3223-1854